Vou tentar aqui nesse post sanar uma das maiores dúvidas quando o assunto é minimalismo.

 

Mesmo não conhecendo a palavra, o minimalismo sempre esteve presente na minha vida de diversas formas, seja fazer uma faxina nos armários de casa e na bolsa de vez em quando ou arrumando a mala para uma viagem.

 

O minimalismo pode ser encarado de uma maneira bem simples: Já experimentou viajar com muita bagagem? Não é cansativo, chato, trabalhoso? O mesmo acontece na vida, com as coisas que a gente tem e gasta muito tempo para manter.

 

Eu só me dei conta do tanto de coisas que eu tinha quando me mudei de casa. Como aquilo me cansava. Era tanto papel, tanta roupa, tanto sapato que eu me perguntava: Pra que tanta coisa? Fora o sentimento, a energia que fica quando você se vê no meio de tanta bagunça. Quanto mais coisas mais bagunça. Cada gaveta que eu abria, lotada.  Parece óbvio, mas com a correria do dia dia, muitas vezes não  paramos para sequer pensar um minuto sobre isso, vamos entulhando nas gavetas e depois quem sabe quando tivermos tempo arrumaremos, mas esse tal horário livre nunca chega e a consequência é  uma bola de neve que quando nos damos conta  o estrago já está grande. Resultado disso é estress garantido.

 

O minimalismo não está ligado a armário cápsula, a uma quantidade x de pertences, a cores sóbrias, pobreza  ou qualquer outra coisa que tentam colocar na sua cabeça. Não é isso. O minimalismo está ligado, colado ao excesso. Tudo que você tem e não usa é excesso. O minimalismo é um combate ao excesso, vai na contramão do consumo compulsivo, aliado a um consumo consciente. Para quem busca o minimalismo não interessa que três unidades saiam mais barato que uma unidade. Eu não vou comprar porque não preciso de três e sim de uma só.

 

Primeira dica: 

 

Pare de comprar. Ou pelo menos diminua a frequência e/ou  a quantidade. 

 

Segunda dica: 

 

Use mais aquilo que você já tem. Faça um desafio a você mesmo.  Que tal  usar aquela bolsa esquecida no armário?? Aquela  roupa última da pilha na gaveta? Aquele sapato, ou qualquer outro item que anda meio esquecido e pode ser colocado facilmente no seu dia dia. Isso não é válido para  roupas de festa, neve ou itens que necessitam de uma ocasião especifica de uso.

 

Terceira dica: 

 

Desapegue-se. Pode ser muito difícil , especialmente se você tem dificuldades. Comece aos poucos, Analise bem cada item. Faça isso com consciência, caso sinta dificuldades, não desanime, apenas adie  por um tempo, até se sentir segura. O ideal seria um dia que você esteja sem compromissos e de preferência sozinha em casa. Não tem nada pior que você querer desapegar e parente dando pitaco. Tipo aqueles domingos preguiçosos e chuvosos são os ideias para desapegos em closets. Começo de ano também é um ótimo incentivo. Se não tiver para quem doar, existem diversos bazares e entidades sociais que sempre precisam. Pesquise na internet. Com certeza vai encontrar uma que é a sua cara.

 

Um último bonus :

 

Se te faz lembrar de momentos ruins, se foi presente de alguém que você não gosta. Desapegue sem dó. Não tem como você tirar as lembranças aquele item que  você mesma insiste em manter. Eu até já tentei, mas para mim não funcionou. Não interessa se foi barato, caro, difícil de achar ou alguma outra coisa. O seu sentimento vale mais do que  aquele objeto ou dinheiro gasto ali.

 

O minimalismo, assim como qualquer mudança , é necessário tempo para acostumar. Como é um processo, o ideal é começar aos poucos e não se sentir frustada caso caia em tentação e começar de novo quantas vezes forem preciso.

Publicações relacionadas

Deixe um comentário

This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.